Wednesday, March 7, 2007

Capitulo 2

Amarildo era o nome. Paixao o sobrenome.
Entao era isso, Amarildo Paixao.
Amarildo era um sujeito comum. Nao, Amarildo era um sujeito ordinariamente comum, destes que a gente encontra aos montes pelas ruas, mas que normalmente nao prestamos muita atencao, porque normalmente temos coisa melhor pra fazer.
Amarildo so nao era mais comum pois puxava da perna esquerda, mas como tambem puxava da perna direita, parecia andar normalmente aos olhos de quem o via.
Amarildo sempre fora um tanto estranho, desde crianca, certa vez ao se pintar de verde, quase foi abdulsido, confundido com um marciano, lembrava muito um anao de Velasquez.
Amarildo sempre se diferenciou das outras criancas, nao so pelo fato de saber cantar o hino nacional russo e conseguir comer tres bolachas de agua e sal em um minuto, mas por sua capacidade de adaptacao.
Amarildo certa vez foi esquecido por sua mae no zoo e por engano o menino entrou na jaula dos gnus, se adaptou tao bem que so fora notado devido a greve que os gnus fizeram porque o menino se recusava a ruminar o proprio almoco.
Amarildo sempre fora estranho e sempre se adaptou muito bem a qualquer situacao, e de certo modo isto durava ate hoje.

"You must remember this, a kiss is still a kiss and a sigh is just a sigh. The fundamental things apply, as time goes by"

1 comment:

Camila said...

Gnus?
Ai São José, aonde está meu Aurélio?

(Ps. Escreve bem escreve)